Padrões inconscientes

Há muito tempo me deparei com um sério problema ao evitar rotinas.


Alguns amigos dizem que não ter rotina também é uma rotina, eu discordo desse pensamento.

O fato é que passei por uma experiência recente que só agora me dei conta da importância simbólica e de como um comportamento simples do dia-a-dia pode nos ensinar bastante sobre os nossos padrões inconscientes.

Veja você, caro leitor, me deparei com um desses padrões comprando shampoo!

Irei resumir o que aconteceu e quais reflexões emergiram ao desejar deixar meu cabelo limpo.

Estava em uma loja de produtos para cabelos procurando um determinado creme para minha esposa e filha, lembrei que meu shampoo iria acabar e eu poderia me precaver comprando um dos produtos ali expostos. Esse raciocínio já foi raro, pois normalmente compro shampoo depois de dois ou três dias que aperto o frasco e percebo que já acabou. Veja que ironia, buscando quebrar um padrão me deparei com outro.

Então a vendedora muito solícita e gentil me instruiu a usar um determinado shampoo, acatei a sugestão, adquiri o produto e ao chegar em casa já o testei. Fiquei surpreso! Adorei o cheiro, a forma que o cabelo ficou, a consistência, a cor. Foi uma boa compra! Até me arrependi um pouco de não ter comprado o frasco com uma maior quantidade.

Quando o shampoo acabou sai de casa determinado a comprar o mesmo, da mesma marca, de preferência com uma quantidade maior. Chegando na mesma loja fui em busca da prateleira e ele não estava mais lá! Decidido a esperar até sua chegada fiquei impactado por saber que poderia ficar uma ou duas semanas sem shampoo e não era certeza chegar o recipiente maior. 

Nesse ponto, uma outra vendedora, também muito atenciosa e solícita, me indicou um outro shampoo com características semelhantes e de uma outra marca que eu já conhecia, mas nunca havia usado. Resolvi adquirir e testar. Chegando em casa constatei que fiz uma escolha melhor do que a primeira, o shampoo era mais cheiroso, meu cabelo ficou muito melhor. 

Só então percebi... Querendo quebrar o padrão inconsciente e antecipar a compra de um produto necessário, cai em outro padrão de nunca permanecer com a mesma coisa por um longo tempo.

Deixo essas reflexões para ajudar a você, leitor deste texto a iluminar que padrões inconscientes te rege. É muito comum respondermos a esses padrões e culparmos o mundo externo: a economia, o outro, os amigos, a crise... enfim. 

Busquemos em nosso íntimo as reais respostas para as nossas indagações!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sucesso! Por Adamo Brasil

Hipnose Clínica

Quem eu sou? Por Malcolm Chandler