Por que o Batman existe?



Aqueles que me conhecem sabem que eu tenho um apreço pelo personagem que figura no título do nosso texto. Por vezes me pego questionando a mim mesmo sobre inúmeros elementos que passam pela minha mente diariamente; um desses dias me encontrei com o Batman.

Pensei: o que faz o Batman existir?

A resposta veio logo a mente: A sede de justiça e o ímpeto de salvar Gotham da criminalidade.

Apesar da resposta ser nobre, tenho aprendido que a primeira ideia que nos vem a mente pode ser a mais correta, como pode ser também a que mais nos encanta para nos tirar do verdadeiro foco... mecanismos de defesa as vezes no empurram para outro lado completamente diferente quando nos apegamos à uma justificativa qualquer.

Então aprofundei o pensamento: O que há além da nobre causa de salvar a todos?

E a resposta saltou aos meus olhos: Salvar a si mesmo!

O Batman existe para o Bruce suportar viver. Dói ser Bruce, por isso é importante ser Batman, e consequentemente o Batman evita sofrer... pois quem sofre é o Bruce. E fiquei com uma grande pergunta em minha mente: Quem sou quando estou sendo Bruce, e quem sou quando estou sendo Batman?

Será que na nossa profissão somos verdadeiros “Batmans”? Somos bem vistos, bem quistos, bem apresentados... somos justiceiros! E quando chegamos a noite, em casa, sozinhos, temos dificuldade em ficar no silêncio e ouvir nossos próprios pensamentos. Passamos a ser Bruce.

Na ficção Bruce perde os pais quando criança, eles são assassinados na sua frente e ele se culpa por não ter reagido. Mesmo que nossos pais ainda estejam vivos chega um período que ficamos só, que ganhamos nossa “independência” que rompemos com os seus padrões, que os negamos. Perdemos os nossos pais e somos incapazes de fazer algo para defender a imagem deles em nossa mente, ela nos é roubada, assassinada por nós mesmos. Quando a adolescência se vai, fica a reflexão... o peso... os pensamentos. Temos escolhas, e geralmente optamos por esconder o que nos incomoda.

Tenho tido contato com muitas mentes, em consultório já ouvi centenas de histórias, e ao ouvi-las busco editar a minha história, como profissional e como pessoa também. Quem me procura no consultório tem o momento do Bruce sofrer, mas também de encontrar novas ferramentas para o Batman, descobrir um equilíbrio; manter a paz. Acredito que há um caminho para isso, mas cada caminho é diferente e necessita do esforço adequado para conquista-lo. 

O que é feito com o Bruce que me procura? Buscamos as ferramentas mais adequadas para o mergulho em si mesmo e as descobertas desse processo.

Torço para que essas reflexões sejam úteis na sua mente como foram na minha.
Caso queira continuar lendo meus pensamentos volte sempre por aqui.

Forte Abraço,

Adamo Brasil

Comentários

  1. Respostas
    1. Obrigado, continue acompanhando meus próximos artigos... Abraços.

      Excluir
  2. Quando nos "identificamos" com personagens heróicos, as vezes batemos de frente justamente com nossas fraquezas,o gatilho que poderia desencadear a ação/reação que tanto ansiamos, temos e tememos em nossos heróis . Jerle

    ResponderExcluir
  3. Muito bom!!!!! Fiquei pensando em quantas vezes vesti a roupa da minha heroína e quão maravilhoso será quando puder integrar-me e descobrir que ela sou eu...Será possível? (a voz questionando...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em minha opinião as perguntas são essenciais, as vezes mais importante que as respostas... gostei da voz questionadora.

      Abraços,

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sucesso! Por Adamo Brasil

Hipnose Clínica

Como nos sentimos?