O desafio do relacionamento interpessoal é a superação de si mesmo


Eu tenho ouvido muita coisa interessante em minha vida: "Meus pais não me entendem". "Aquele meu ex é um idiota". "Não suporto aquele colega metido". "Ai, minha chefe é uma besta". "Aquela moça só faz besteira". "Não tenho paciência com esse menino, meu Deus!".

São questões recorrentes dos relacionamentos humanos, situações de incômodo, desentendimento ou confronto que permanecem anos a fio até que chegam a um ponto de ruptura. Crises familiares, desentendimentos entre vizinhos, brigas de colegas, conflitos entre corporações ou torcidas organizadas e guerras.

"Gente é bicho difícil", eu digo, contemporizador, mesmo sabendo que, na verdade, não é. Eu mesmo nem gosto de usar a palavra "difícil". Já dizia meu amigo Thiago Costa, "Quando alguém me pergunta "É difícil?", eu respondo: 'é difícil' é um prédio alto". 

Traduzindo do Penelês (linguagem nativa dos estudiosos da Programação Neurolinguística - PNL): ao falar que algo é difícil, você está reafirmando para sua mente que aquilo não pode ser alcançado, que há um obstáculo intransponível entre você e seu desejo, ou objetivo que quer realizar.

Prefiro o termo "desafiante", pois desafios existem para serem vencidos, superados e/ou ultrapassados.

Mas voltando ao assunto em pauta, que são os desafios dos relacionamentos entre as pessoas: só há uma pessoa no universo inteiro a quem você pode culpar por suas questões de trabalho, estudo ou família. Essa pessoa específica é que precisa mudar para que suas relações se tornem melhores, mais leves e agradáveis. Assim como só há uma pessoa que precisa mudar seus comportamentos, reações e hábitos para que você tenha sucesso na vida.

E eu lhe digo onde encontrar essa pessoa: levante-se, procure o primeiro banheiro, olhe para o espelho e aponte para quem vê. É, você mesmo. Nem adianta culpar a preguiça de seu marido, o desleixo de sua esposa, a demora em se arrumar de sua namorada, o colega intrometido, a mulher da cantina que é fofoqueira, o vizinho que trai a esposa, o chefe que não reconhece suas qualidades ocultas e não te dá o aumento que você acha que merece, ou o pai do coleguinha do seu filho, que só ensina coisas erradas à criança.

Se doeu, se incomodou você, há uma razão aí. Se você se nega, se põe a culpa no outro, é porque você não tem o controle de sua vida. Se você deposita a causa de sua realização nas mãos de A, B ou Y, você nunca realizará nada. Da mesma forma, se disser a si mesmo que só será feliz quando tiver isso ou aquilo, quando aquele colega chato for transferido para a lua ou a Sibéria, quando fizer tantos mil reais por mês ou quando tiver um namorado(a) de capa de revista; acredite-me, você nunca será feliz.

A semente da mudança deve ser plantada em seu peito. O responsável por sua realização e felicidade é somente você. Quem precisa fazer ou deixar de fazer algo é você. O desafio reside em você, e olha que coisa boa: a solução também está em você.


"É difícil?", você pode me perguntar. Eu sorrirei e negarei: "Não. É só desafiante". O desafio do relacionamento interpessoal é apenas a superação de si mesmo.

Pense nisso.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sucesso! Por Adamo Brasil

Quem eu sou? Por Malcolm Chandler

Quem eu sou? Quem sou eu? Por Adriana Tavares